LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO

Para aprender a ler e a escrever é imprescindível pensar sobre a escrita e como representa a linguagem. Portanto, é preciso que, desde a mais tenra idade, a criança vivencie experiências de leitura e escrita em um mundo letrado.

Nesta perspectiva, as situações corriqueiras da convivência no âmbito familiar constituem oportunidades singulares para propiciar que a criança se aproprie da língua materna de maneira descobridora, crítica, ativa e, sobretudo, prazerosa.

Para auxiliá-los neste processo, a família poderá tornar o ambiente familiar em um espaço letrado e alfabetizador. Vale ressaltar que isto não se trata de ter de ensinar formalmente a criança a ler e a escrever, função esta do professor, mas sim favorecer a descoberta da real função da leitura e da escrita a partir da participação da criança em situações significativas de aprendizagem.

Que tal montar uma agenda telefônica para a criança? Pegue uma agenda em que as páginas estejam divididas por ordem alfabética.  Observando as letras, registre junto à criança os nomes das pessoas mais próximas a ela (parentes, amigos, lugares em que se pedem lanches, entre outros) e os seus contatos (números de telefones, e-mails, endereço). A agenda deve permanecer com a criança ou junto à agenda da família, de fácil acesso para que possa ser consultada sempre que necessário.

Essa prática permite que a criança estabeleça a diferença entre letras e números e perceba claramente a função de cada um deles. Chame a atenção para que a criança perceba que de um lado ficam os nomes das pessoas ou estabelecimentos e do outro o número do telefone deles e que os nomes são registrados na agenda em ordem alfabética e, portanto, é preciso observar a letra inicial dos nomes antes de escrevê-los.